Rio 2016: il Brasile è già al lavoro

Le attività preparatorie dei Giochi Olimpici: stato dei progetti e aspettative future

di Gustavo Westmann, Capo Ufficio Promozione Commerciale, Investimenti e Turismo – Ambasciata del Brasile in Italia

Il 2016 sarà, di nuovo, un anno di grandi aspettative per il Brasile, che ospiterà per la prima volta nella sua storia i Giochi Olimpici e Paralimpici, rispettivamente dal 5 al 21 agosto, e dal 7 al 18 settembre. Gli impianti olimpici e paraolimpici saranno distribuiti in quattro aree della città di Rio de Janeiro: Barra, Deodoro, Copabacana e Maracanã. Altre quattro città (Salvador, Brasilia, Belo Horizonte e San Paolo) ospiteranno partite di calcio olimpico nei loro stadi.
Nello scorso mese di gennaio, l’Autorità Pubblica Olimpica (APO), un consorzio formato dai governi federale, statale e comunale, ha confermato che il bilancio totale del Giochi Olimpici e Paralimpici Rio 2016 sarà intorno ai 37.700 milioni di Reais (pari a circa 12 miliardi di euro). Per offrire le condizioni ideali per la realizzazione degli eventi e far sì che gli investimenti realizzati possano avere effetti positivi anche per il ​​futuro, le autorità brasiliane si stanno adoperando per migliorare la mobilità urbana nella città di Rio de Janeiro, con risultati già percepibili. Altre importanti iniziative in corso di attuazione riguardano l’urbanizzazione e la tutela ambientale. Il programma Porto Maravilha, per esempio, gestito da un partenariato pubblico-privato, sta rivalorizzando una superficie di 5 milioni di metri quadrati, e trasformerà l’area in un polo culturale, residenziale e turistico.
La tutela ambientale nelle fasi preparatorie e la sostenibilità degli edifici finali nel lungo periodo sono tra i principi alla base della costruzione del Parco Olimpico. Inoltre, è stato da poco annunciato un ambizioso piano di risanamento parziale della Baia di Guanabara, che ospiterà le gare di vela. Nell’ultimo incontro tra il Comitato Rio 2016 e il Comitato Olimpico Internazionale, è stato stabilito che almeno l’80% della Baia sarà riqualificata da qui all’apertura dei Giochi.
Così facendo, si intende lasciare in eredità alla città e alla popolazione di Rio de Janeiro la costruzione e il recupero dei centri di formazione di alto livello e degli impianti sportivi; ma anche una maggiore sicurezza e nuove opportunità di business per le piccole imprese nel quadro della cooperazione tra il Comitato Olimpico Internazionale (CIO) e il Servizio di Supporto alle Micro e Piccole Imprese (SEBRAE).
Lo Stato brasiliano si incaricherà della sicurezza interna degli impianti sportivi, che sarà gestita da agenti federali e statali coordinati dal SESGE (Dipartimento di Sicurezza Speciale Grandi Eventi del Ministero della Giustizia). A tal fine, il Ministero della Giustizia intende investire 350 milioni di Reais in attrezzature e formazione delle forze di polizia, in aggiunta agli investimenti del Ministero della Difesa.
Il Governo si aspetta che, durante i Giochi Olimpici e Paralimpici Rio 2016, il Paese accoglierà più di 350mila turisti stranieri. I preparativi potrebbero essere più celeri, ma sono comunque ottimistiche le prospettive di concludere le opere entro un termine ragionevole per la realizzazione degli eventi-test necessari, che inizieranno già nel prossimo semestre.


 

Rio 2016: o Brasil já está trabalhando

As atividades preparatórias dos Jogos Olímpicos: execução dos projetos e expectativas de legado

O 2016 será, novamente, um ano de grandes expectativas para o Brasil, que sediará, pela primeira vez em sua história, os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, respectivamente entre os dias 5 e 21 de agosto e 7 e 18 de setembro de 2016.
As instalações olímpicas e paraolímpicas estarão divididas entre quatro regiões na cidade do Rio de Janeiro: Barra, Deodoro, Copabacana e Maracanã. Outras quatro cidades (Salvador, Brasília, Belo Horizonte e São Paulo) receberão jogos de futebol olímpico em seus estádios.
Em janeiro do corrente ano, a Autoridade Pública Olímpica (APO), consórcio governamental formado pelos Governos Federal, Estadual e Municipal, confirmou que o orçamento total dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 deverá girar em torno de R$ 37,7 bilhões, ou cerca de 12 bilhões de euros.
De modo a oferecer condições ideais para a realização dos eventos e permitir que os investimentos realizados continuem a surtir efeitos positivos no futuro, existe particular esforço das autoridades brasileiras para melhorar a mobilidade urbana na cidade do Rio de Janeiro, com resultados que já podem ser percebidos. Outras iniciativas importantes também estão sendo realizadas nas áreas de urbanização e meio ambiente. O programa Porto Maravilha, por exemplo, executado por uma parceria público-privada, está revitalizando uma área de 5 milhões de metros quadrados, que transformará a região em pólo cultural, residencial e de turismo.
A preservação ambiental nas etapas preparatórias e a sustentabilidade das construções definitivas no longo prazo estão entre os princípios das obras do Parque Olímpico.
Nesse sentido, acaba de ser anunciado ambicioso plano de despoluição parcial da Baía de Guanabara, que sediará as competições de vela. Na última reunião realizada entre o Comitê Rio 2016 e o Comitê Olímpico Internacional, determinou-se que pelo menos 80 % da Baía será despoluída até a abertura dos Jogos. Pretende-se deixar, igualmente, como legados para a cidade, e para a população do Rio de Janeiro, a construção e a reforma de centros de treinamento de alto rendimento e de instalações esportivas; o reforço da segurança; e novas oportunidades de negócios para pequenas empresas dentro do marco de cooperação entre o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE).
O Estado brasileiro assumirá a segurança interna das instalações esportivas, que será feita por agentes federais e estaduais coordenados pela SESGE (Secretaria Extraordinária de Segurança dos Grandes Eventos do Ministério da Justiça). Para tanto, o Ministério da Justiça reforçou a intenção de investir R$ 350 milhões em equipamentos e em treinamento de forças policiais, em adição aos investimentos do Ministério da Defesa.
A expectativa do governo é que o país receba mais de 350 mil turistas estrangeiros durante a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.
Os preparativos poderiam estar mais adiantados, mas são positivas as perspectivas de conclusão das obras dentro de prazo razoável para a realização dos eventos-testes necessários, os quais começarão a ocorrer já no próximo semestre.