Rio 2016: la grande festa si avvicina

Il Brasile sarà il primo Paese del Sud America a ospitare le Olimpiadi

di Gustavo Westmann, Capo del Settore Commerciale dell’Ambasciata del Brasile in Italia

Pochi mesi fa, abbiamo iniziato il conto alla rovescia per l’inizio dei Giochi Olimpici e Paralimpici Rio 2016. Tra il 5 e il 21 agosto e dal 7 al 18 settembre, più di 15.000 atleti in rappresentanza di 205 Comitati Olimpici Nazionali, si sfideranno in varie modalità sportive in quello che va considerata la più importante competizione (o sfida) di tutti i tempi.

Non è un caso che il Brasile sarà il primo paese del Sud America a ospitare le Olimpiadi. Ci sono voluti secoli affinché i nostri lavoratori, imprenditori, politici, studenti, scienziati e artisti fossero stati in grado di erigere una delle nazioni più aperte e creative del mondo, con una cultura vigorosa di pace, solidarietà e tolleranza. Con questi valori abbiamo ospitato i Mondiali di Calcio del 2014; e abbiamo stupito il mondo in pochi mesi.

Le preparazioni di Rio de Janeiro per i Giochi Olimpici di Paraolimpici seguono a ritmo sostenuto. è una grande sfida, stiamo vincendo giorno dopo giorno, molto prima dall’inizio delle gare. Attualmente, oltre l’85% delle opere infrastrutturali sportive sono concluse nei quattro centri competitivi: Barra, Deodoro, Maracanã e Copacabana.

Dei U$ 12 miliardi di investimenti previsti per i Giochi, due terzi sono stati diretti a opere urbanistiche infrastrutturali nella città di Rio de Janeiro, in settori come i trasporti pubblici, infrastrutture stradali e la rivitalizzazione della zona portuale, i quali costituiscono uno dei più importanti lasciti della manifestazione al pubblico. Per raggiungere questi obiettivi, una quota significativa degli investimenti privati è stata fondamentale, pari a oltre il 57% del totale di cui, uno dei più alti livelli nella storia dei Giochi.

Per quanto riguarda la sicurezza, una forza di 85 000 uomini saranno impiegati durante l’evento, la più grande operazione di sicurezza integrata nella storia. L’esperienza di lavoro integrato tra le forze dell’ordine durante i Mondiali dell’anno scorso, che ha creato le condizioni per un evento senza gravi incidenti, è stato completamente integrato nel lavoro preparatorio in corso e dovrebbe garantire la sicurezza degli atleti e spettatori senza nessuna minaccia.

L’organizzazione dei Giochi ha anche stimolato investimenti significativi negli atleti, allenatori e squadre brasiliane, attraverso programmi come Bolsa Atleta (Borsa Atleta) e Plano Brasil Medalhas (piano Brasile Medaglie). Per tali sforzi sono in aggiunta alla costruzione di 12 centri di allenamento, 261 centri di iniziazione allo sport e 46 piste ufficiali di atletica in tutto il territorio nazionale, essi consentono la diffusione della pratica sportiva tra i giovani e gli adulti come mai prima nella storia del Paese, e, soprattutto,
contribuendo in modo determinante all’inclusione e l’integrazione sociale della nostra popolazione.

Gli stranieri che visiterano il Paese durante i Giochi Olimpici e Paralimpici avranno la possibilità di conoscere un nuovo Brasile, moderno e in trasformazione. Nonostante la recente crisi politica del Paese, grandi passi avanti sono stati compiuti negli ultimi anni, che hanno permesso la stabilità economica e l’aumento del reddito medio e il livello di istruzione della nostra popolazione. L’infrastruttura turistica brasiliana è migliorata in modo significativo, accompagnata da un maggior numero di brasiliani che comunicano in altre lingue, questo ha creato nuove facilità  e offerte turistiche per coloro che desiderano esplorare un po’ di più la grandezza del nostro territorio.

Il buon funzionamento di questo grande progetto richiede attenzione costante e uno sforzo congiunto dei Governo Federale, Statale e Municipale, oltre al Comitato Organizzatore, alla Autorità Pubblica Olimpica alle  Organizzazioni della Società Civile e del settore privato, tutti impegnati ad offrire agli spettatori brasiliani e visitatori stranieri un’esperienza indimenticabile.

Il Brasile si prepara all’arrivo dei Giochi Olimpici e Paraolimpici e sono convinto che riusciremo nuovamente far vedere al mondo i nostri valori e recenti conquiste, celebrando la pace e acclamando tutte le nazioni a unirsi intorno allo sport. Questo è lo sforzo collettivo di un intero paese, che in pochi mesi riceverà con le braccia aperte, non solo gli atleti e turisti che visiteranno il Paese, ma tutti i 5 miliardi di persone che, in qualche modo, accompagneranno  il più grande evento sportivo di tutti i tempi.


Rio 2016: a grande festa se aproxima

O Brasil será o primeiro país da América do Sul a sediar uma Olímpiada

Há poucos meses, começamos a contagem regressiva para o início dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Entre 5 e 21 de agosto e entre 7 e 18 de setembro, mais de 15 mil atletas, representando 205 Comitês Olímpicos, disputarão diversas modalidades esportivas naquela que deverá ser considerada a mais importante competição de todos os tempos.
Não é por acaso que o Brasil será o primeiro país da América do Sul a sediar uma Olímpiada. Foram necessários séculos para que nossos trabalhadores, empresários, políticos, estudantes, cientistas e artistas conseguissem erguer uma das nações mais abertas e criativas do mundo, com uma vigorosa cultura de paz, solidariedade e tolerância. Com estes valores sediamos a Copa do Mundo de 2014; e com eles surpreenderemos novamente o mundo dentro de poucos meses.

As preparações do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos a Paralímpicos seguem em ritmo acelerado. Trata-se de um grande desafio, que estamos vencendo dia a dia, muito antes que as competições efetivamente comecem. Atualmente, mais de 85% das obras de infraestrutura esportiva já estão concluídas, em quatro núcleos de competição: Barra, Deodoro, Maracanã e Copacabana.

Dos US$ 12 bilhões de investimentos previstos para os Jogos, dois terços foram dirigidos para obras de infraestrutura urbana na cidade do Rio de Janeiro, em setores como o transporte coletivo, infraestrutura viária e a revitalização da área portuária, os quais constituirão um dos mais importantes legados do evento para a população. Para lograr de tais objetivos, a expressiva participação de investimentos privados tem sido fundamental, equivalente a mais de 57% do total mencionado, um dos níveis mais altos da história dos Jogos.
No que diz respeito à segurança, um efetivo de 85 mil homens será empregado durante o evento, na maior operação de segurança integrada da história. A experiência de trabalho integrado entre as forças de ordem por ocasião da Copa do Mundo do ano passado, que criou condições para um evento sem ocorrências graves, foi plenamente incorporada aos trabalhos de preparação em curso e deverá garantir a segurança dos atletas e espectadores sem quaisquer ameaças.

A organização dos Jogos também estimulou importantes investimentos em atletas, técnicos e equipes brasileiras, por meio de programas como o Bolsa Atleta e o Plano Brasil Medalhas. A tais esforços, somam-se a construção de 12 centros de treinamento, 261 centros de iniciação esportiva e 46 pistas oficiais de atletismo em todo o território nacional, que estão permitindo a disseminação da prática do esporte entre jovens e adultos como nunca antes visto na história do País, e, acima de tudo, colaborando de maneira decisiva para a inclusão e integração social de nossa população.

Os estrangeiros que visitarem o Brasil durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos terão a oportunidade de conhecer um novo Brasil, moderno e em transformação. Apesar da recente crise política que assola o País, grandes avanços foram feitos nos últimos anos, que permitiram a estabilização econômica e o aumento da renda média e do nível de escolaridade de nossa população. A infraestrutura turística brasileira também melhorou significativamente, acompanhada por um maior número de brasileiros que se comunicam em outros idiomas, o que criou novas facilidades e ofertas turísticas para aqueles que pretendem explorar um pouco mais a grandeza de nosso território.

O bom andamento deste grandioso projeto exige atenção permanente e um trabalho conjunto dos Governos Federal, Estadual e Municipal, além do Comitê Organizador, da Autoridade Pública Olímpica, de Organizações da Sociedade Civil e do setor privado, todos empenhados em oferecer aos espectadores, brasileiros e visitantes estrangeiros, uma experiência inesquecível.

O Brasil está preparado para a chegada dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos e tenho convicção de que conseguiremos mostrar novamente ao mundo nossos valores e recentes conquistas, celebrando a paz e conclamando todas as nações a unirem-se em torno do esporte. Este é o esforço coletivo de um país inteiro, que em poucos meses receberá de braços abertos não apenas os atletas e turistas que visitarem o País, mas todos os 5 bilhões de pessoas que, de alguma forma, acompanharão a maior competição esportiva de todos os tempos.